SMADS

Rede municipal sobre direitos de pessoas com Transtorno do Espectro Autista aborda atendimentos

28 de maio de 2024

O grupo de trabalho intersecretarial sobre a Rede Municipal de Atenção e Promoção de Direitos das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), se reuniu ontem, dia 27/05, para apresentação do fluxo de atendimento e avaliação biopsicossocial realizada pelo Centro de Reabilitação de Piracicaba (CRP). O grupo é formado por representantes das secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads), Saúde e Educação, em parceria com organizações sociais e Conselho Municipal de Proteção, Direitos e Desenvolvimento da Pessoa com Deficiência (Comdef), por iniciativa da Prefeitura de Piracicaba.

Eloá Zambon, psicóloga do Centro-Dia do CRP explica sobre o fluxo de atendimento

Durante a apresentação, representantes do CRP explicaram que os casos de autismo são encaminhados pela rede de saúde à instituição para que as avaliações sejam aplicadas conforme a LBI (Lei Brasileira de Inclusão), com equipe multidisciplinar, considerando no diagnóstico, as funções do corpo, fatores socioambientais, psicológicos e pessoais, limitação no desempenho de atividades e funções do corpo. “A pessoa precisa ser olhada de forma integral, com avaliação biopsicossocial que considerará a deficiência a partir da sua funcionalidade, entendendo as barreiras que a impedem de viver em sociedade, e em espaços adaptáveis a ela”, disse Eloá Zambon, psicóloga do Centro-Dia do CRP.

Rebecca Padulla, coordenadora do Projeto da Saúde do CRP falou sobre os instrumentos utilizados para avaliação da pessoa com autismo. “Utilizamos a CIF – Classificação Internacional de Funcionalidade que complementa o CID e compreende estudar a saúde e o resultado das intervenções, além disso, o IF-BR nos ajuda a avaliar o grau de funcionalidade da pessoa com deficiência. A partir disso, podemos montar o Projeto Terapêutico Singular (PTS) individual da pessoa atendida e promover ações necessárias para o seu desenvolvimento”, explicou, ressaltando que as famílias participam de todos os atendimentos das pessoas com deficiência.

Euclidia Fioravante fala ao GT sobre o propósito do grupo de avançar em políticas municipais relacionadas ao autismo

Euclidia Fioravante, secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, reforçou o objetivo do grupo de trabalho de atuar em rede, visando a implementação de políticas públicas que promovam a inclusão social, priorizem a autonomia e o protagonismo da pessoa com autismo, por meio de ações e projetos voltados a esse público.

Os encontros do GT são abertos e acontecem nas últimas segundas sextas-feiras de cada mês, às 9h, no auditório da Smads, localizado na rua Monsenhor Manoel Francisco Rosa, 900, Centro.

ATENDIMENTO TEA – Além do CRP que atende pessoas com autismo em Piracicaba, o município conta com a Associação de Pais e Amigos dos Autistas (Auma) que atende crianças, jovens e adultos, por meio do Programa Habilitação e Reabilitação e do Centro Dia para pessoas com deficiência, realizado em parceria com a Smads; e o projeto TEAcolhe com repasse de recursos do Fumdeca (Fundo Municipal dos Direitos da criança e do Adolescente). Na Educação, o Numape (Núcleo Municipal de Apoio Pedagógico de Educação Especial), assegura a política educacional relacionada à educação de alunos com deficiência, incluídos nas escolas municipais, com ações articuladas com as unidades da Rede Municipal de Educação para a oferta de atendimento especializado, por meio de salas de recursos multifuncionais e itinerantes.

Na Saúde, as crianças e adolescentes com autismo são acompanhados no Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil (CAPSIJ) -, equipamento destinado ao cuidado de crianças e adolescentes com transtornos psíquicos, incluindo o TEA. O serviço funciona de portas abertas, com equipe multiprofissional e oferece oficinas terapêuticas, grupos terapêuticos, grupo de orientação a pais e responsáveis.

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) também é uma das organizações que atende pessoas com autismo, entre outros vários tipos de deficiências, ofertando atendimento ambulatorial e multiprofissional especializado em habilitação e reabilitação para pessoa com deficiência intelectual, múltipla, TEA ou atraso no desenvolvimento neuropsicomotor.

Voltar